domingo, 27 de janeiro de 2013

Capítulo 44 - Save-me

Hey, Hey, Hey!
Olá, mortos-vivos! Desculpem...Era pra eu postar isso ontem,mas, como a compania elétrica da minha cidade é mto legal -sóqn - a luz acabou justo quando eu ia postar - Sinceramente, eu deveria matá-los -
Bom, eu gostaria de dedicar esse capítulo ás vítimas e aos familiares e amigos das vítimas da tragédia {incêndio} em Santa Maria, eu sei, The Girl of Cutting não é exatamente a melhor fic pra isso, mas...
Boa Leitura!
 Capítulo 44
Save-me!

   Raiva, raiva e raiva, isso resume basicamente o que eu sentia, estava tomada pela raiva de uma forma   totalmente louca e frenética, como uma bomba relógio prestes a explodir...
Abri a porta de casa em uma rapidez incrível e bati com toda a força que achei dentro de mim...Nem havia me preocupado em estacionar o carro direito, se alguém reclamasse eu mataria, é simples, matar...Era isso que eu queria, matar, ver sangue, ver nos olhos das pessoas todo o medo, ouvir gritos, gritos de terror, gritos implorando por sua vida, até darem seu ultimo suspiro....

Eu estava no meu ponto máximo de fúria, ou pelo menos até onde eu sabia...Raiva é algo interminável, que pode crescer cada vez mais dentro de você, sem tamanho, sem controle...Mas, podemos dizer que o que eu estava sentindo era puro ódio, algo extremo, demonstrava agressividade até na minha forma de andar. Subi rapidamente para o lugar que costumava ser o quarto do pirralho filho da puta do Lucas, e que agora era meu cantinho secreto...Ver as armas me acalmava um pouco, mas, não ao suficiente, precisava simplesmente enlouquecer, de uma forma que nunca aconteceu antes, mesmo assim eu sabia que eu não poderia...Era dia, nem perto do anoitecer, assassinatos de dia são como implorar para ser preso, a noite as coisas se tornam muito mais fáceis e macabras...Eu não poderia simplesmente sair por aí e matar a primeira pessoa que eu visse pela frente, bom, eu poderia, mas, eu sou uma assassina que planeja os crimes, não uma que saí por aí matando pouco me fudendo para o que vai acontecer, todo esse lance de mistério e de enlouquecer as pessoas por nunca, já mais deixar nem uma pista se quer me da fama, e, com certeza isso é muito satisfatório, já mais poderia deixar essa minha tradição e a minha reputação irem por água a baixo simplesmente por comentários de uma amiga - ou ex-amiga minha - que na verdade não teve culpa de muita coisa...O que eu realmente não poderia deixar acontecer era me dar por vencida, fazer algo que me deixasse em risco dando um gostinho de vitória ao assassino misterioso, não, nunca eu já mais faria isso, eu já mais jogo para perder, já mais, muito menos agora que o assassino misterioso já havia começado a me tirar do sério, não, ele não iria vencer.

Respirei fundo, e, tentei colocar pensamentos que me tirasse a raiva da mente como por exemplo: "Acalme-se, Alicia...O assassino misterioso é apenas um idiota, um idiota que muito em breve será brutalmente morto, ele é apenas um babaca que não sabe com quem está se metendo, e que está aprendendo a jogar, mas, não, ele não sabe, apenas está brincando de esperto, ele é apenas um idiota ,você é a vencedora, você é forte, você é má, ele não vai vencer, fique calma e não faça nenhuma besteira...Ele vai pagar, pagar por tudo isso, você é a profissional, você dita as regras do jogo." Mesmo assim, pensamentos e palavras não funcionam pra mim, eu preciso de mais, uma necessidade imensa de liberar a minha raiva, assim como seres vivos precisam de oxigênio, sofrimento, dor, sangue...Isso é meu oxigênio, ou pelo menos parte dele....A outra parte? Mike. Mas, o que eu precisava mesmo naquele momento era ver o doce, vermelho e brilhante sangue..Mas, não, não iria matar, era muito arriscado, por isso resolvi apostar em algo que eu não fazia a bastante tempo...Automutilação, não é como se eu estivesse cortando, torturando ou matando outras pessoas, mas, mesmo assim seria útil...A dor ajudaria a raiva a passar, e, sabe, eu não ligo mais...Aprendi a ser totalmente fria a ponto de um corte não ser nada além de um pequeno incomodo, por maior e mais profundo que fosse, os cortes, vodka, rock n' roll em um volume absurdo e cigarros me poupariam de fazer alguma besteira até a noite...Mas, a noite ninguém conseguiria me controlar, nem que quisessem, nem que me matassem...Quando eu pego fogo é incontrolável, sou um incendio sanguinário que ninguém consegue apagar...A noite seria brutal, intensa e extremamente fria, qualidades perfeitas para que eu seja uma assassina...



Fui até o banheiro e me tranquei, tinha minha vodka, meus cigarros, meu celular com músicas extremamente maravilhosas, e, como sempre meu canivete...Não poderia me dar ao luxo de sujar meu quarto ou meu "escritório" com sangue, não com o meu sangue...Escolhi uma música no meu celular, Cherry Bomb, do The Runaways, uma das minhas músicas favoritas, abri a garrafa de vodka e bebi um grande e demorado gole, ascendi o cigarro e dei uma tragada, finalmente peguei meu canivete...Depois de tanto tempo sem me cortar meus pulsos quase não tinham mais cicatrizes, e, digamos que eu havia aprendido bastante sobre cortes e como fazê-los, é treinando que se aprende, não é mesmo?! Hahaha, digamos que meu método para aprender não seja um dos mais educativos e pacíficos, mas, com certa é um dos mais divertidos e prazerosos, principalmente para pessoas corajosas e que gostam de um pouco de caos...

Comecei com um corte leve...Pensando em tudo que a Jess havia dito e em tudo o que o assassino x merecia...Lembrava-me perfeitamente das palavras..."Você é simplesmente mais uma idiota, uma idiota inútil que acha super divertidinho brincar com o perigo...Uma vadia puta inútil perdida no mundo que não tem mais nada o que fazer a não ser estragar a felicidade dos outros! Eu te odeio Alicia, eu te odeio! E o que você pode fazer?! Na luz do dia, nada, simplesmente nada...Porque você é uma fraca e uma inútil que usa o medo das pessoas contra elas mesmas e que não consegue encarar ninguém...Você é uma fraca, Alicia, e sempre vai ser.."

A raiva crescia novamente dentro de mim...Tinha vontade de xingar a Jess, talvez até de matá-la. Não. É isso que o assassino misterioso quer, que elas tenham raiva de mim, e que eu tenha raiva delas, ele não vai conseguir o que quer, nunca. 

Logo o sangue começou a brotar...Realmente não era como matar pessoas, mas, era até uma sensação boa...Fiz mais dois cortes, nenhum em forma de X, era idiotice fazer um corte em mim mesma com minha marca registrada de assassina já que ninguém, absolutamente ninguém sabe quem é o assassino X, ninguém que não deva, pelo menos... O assassino misterioso não conta, porque pra mim ele já é um assassino morto. Algum tempo depois meu celular tocou...Era o Mike, eu instantaneamente atendi:

- Oi, cafetão...

- Ali, você tá bem?! Eu fiquei preocupado com a minha vadia...Você saiu mais do que furiosa da escola, eu pensei que sei lá, você fosse colocar fogo no mundo ou algo parecido...Você não fez nenhuma besteira, não é Ali?

- Não, Mike...Está tudo bem..Eu apenas fiquei com raiva...

- Ok, Ali, eu fico mais calmo sabendo que você não fez nada que pudesse te encrencar e que você está bem... - Aconteceu uma coisa naquele momento, eu estava distraída...O canivete penetrou mais fundo no meu pulso..O sangue começou a jorrar fortemente, aquele corte tinha sido fundo, fundo de mais...Eu comecei a me sentir fraca...

- A-Alicia? Está tudo bem? - Mike falava novamente com preocupação -

- E-Eu estou bem, Mike, está tudo b... - Antes que eu pudesse terminar a frase eu desmaiei...O corte realmente havia sido muito fundo, mais fundo do que qualquer um que eu havia feito em mim mesma...Eu apenas comecei a me sentir fraca, extremamente fraca, e, em um outro segundo eu tinha desmaiado...

XXX

O Mike não era idiota, ele sabia que havia algo de errado comigo, algo muito errado..Então simplesmente saiu da escola correndo, e, foi mais rápido ainda até a minha casa; como a porta não estava trancada ele sabia que eu não estaria lá em baixo, então subiu as escadas correndo, e me achou no banheiro...Eu estava desmaiada, aquilo tudo havia acontecido a somente dez minutos, uma poça de sangue havia se formado em volta do meu pulso, Mike não hesitou e foi me ajudar...Ou como eu realmente diria: Me salvar. Ele sentou-se ao meu lado, me segurando e pressionando fortemente o meu pulso para que o corte finalmente estancasse, mesmo assim, ele não parecia nada calmo...Estava chorando,  eu já mais pensei em "ver" o Mike chorando, mas, eu acho isso perfeitamente normal, ele se preocupava comigo, e, por favor, eu estava alí, morrendo...Na verdade eu poderia ter morrido....Ele ficou alí, abraçado comigo ainda desmaiada até que o fluxo de sangue diminuísse, assim que pode ele me levou até minha cama e enfaixou meu pulso com ataduras, para que o corte não abrisse, ele permaneceu alí, comigo, me observando, até que eu acordasse, o que demorou horas.

Quando eu acordei já era noite...Pisquei os olhos várias vezes para me acostumar com a claridade da luz elétrica, assim que o Mike percebeu que eu havia acordado ele foi até mim, me dando um leve beijo...

- Ei, Ali, como está se sentindo?

- Fraca e cansada...Que bom  que você não me levou pra um argh, hospital...

- Eu já mais faria isso, Ali, eu sei que quando algo assim acontece as pessoas querem respostas, e, respostas atraem mais perguntas...É o que menos queremos e o que menos precisamos... - Ele sorriu, e eu retribui -

 - Você me salvou, Mike...

- Era o mínimo que eu poderia fazer, eu te amo, Vadia...Não mereceria ser o seu namorado se não tivesse feito isso; eu já mais deixaria você morrer, Alicia, minha vida não seria a mesma sem você, a do resto das pessoas seria absurdamente melhor e todo mundo ficaria com menos medo, ok... - ele disse a ultima parte com um tom brincalhão - Mas, quem liga, não é?!

- Exato! E, Mike, eu também te amo...Mais do que tudo... - Ele chegou mais perto de mim, me dando outro beijo suave - Você é foda, Mike, e eu tenho muita sorte de ter você como meu namorado... É um ladrão fodástico, sexy, muito, muito, muito gostoso, inteligente, lindo...E ainda salvou a minha vida...

- Você é que é perfeita Ali...

- Éh..Somos nós mesmos nessa cena? Mike e Alicia? Jura? Não tá meloso de mais não? O nosso negócio até ontem não era mais sexo e menos romantismo? - O Mike riu do que eu disse, assim como eu...Ele sabia que eu estava brincando, ao menos em algumas partes -

- É, mas, é só por hoje...A minha namorada má e durona merece descanso agora...Eu sou o único que acha que você precisa de  um banho? - Ele estava certo, eu estava totalmente ensangüentada -

- Com certeza não... - Eu me levantei devagar da cama, ainda estava me sentindo fraca, depois de uns passos eu me desequilibrei e quase cai, quase, mas, o Mike me segurou -

- Vai uma ajuda aí, vadia?

- Com certeza, Mike... - Ele não me ajudou somente a chegar até o banheiro, mas, também me ajudou com o banho em sí...Em movimentos suaves ele me ajudava a tirar o sangue de mim, a água morna caia sobre meu rosto, me confortando...É claro que também trocamos alguns beijos molhados...

- Ei, Mike...Você me ajudou com o banho por solidariedade ou porque gosta de me ver nua? - Perguntei como sempre irreverente, mesmo ainda estando fraca -

- Acreditaria se eu dissesse que foi só por solidariedade?

- Não.

- Então, as duas coisas...  - dei um leve sorriso, me jogando literalmente na cama, e fazendo sinal para que o Mike deitasse ao meu lado -

- É, Ali, parecesse que o assassino X vai tirar umas noites de folga...

- Umas? Só uma, cafetão. Amanhã eu já estarei completamente recuperada...

- Já que a senhorita diz...Ei, Ali, está cansada de mais pra transar?

- Hahaha, já mais, Mike, já mais....
---
Comentários ou cortes bem profundos levando-os a morte de forma dolorosa?
Cutting & Blood'
*xoxo*
Lady Suicide'
-->*<--
 

Um comentário:

  1. Ownt que fofinho o Mike!kkk tá parei. www.barulho-da.blogspot.com

    ResponderExcluir